Quadro das 5 gerações

A segmentação das gerações e o branding – como a minha marca se comunica?

Há muito escutamos ou lemos algo sobre as diferenças entre gerações e tem vindo cada vez mais à tona, principalmente com explosão de memes, que hora surgem em uma geração específica ou outra, e acabam atraindo a atenção de todas, movidas pela curiosidade e a comunicação com públicos diferentes. Pensando nisso, preparamos um post exclusivo em nosso blog, que aborda de forma clara, objetiva e prática, as diferentes gerações que temos atualmente, além de trazer uma reflexão sobre o branding como estratégia direcionada a públicos segmentados.

Como se enquadra cada geração?

  1. Geração Baby Boomers: nascidos entre 1940 e 1960 (atualmente com 60 a 80 anos)
  2. Geração X: nascidos entre 1960 e 1980 (atualmente com 40 a 60 anos)
  3. Geração Y (millennials): nascidos entre 1980 e 1995 (atualmente com 25 a 40 anos)
  4. Geração Z: nascidos entre 1995 e 2010 (atualmente com 10 a 25 anos)
  5. Geração Alpha: nascidos a partir de 2010 (atualmente com até 11 anos)

Baby boomers

Nasceram no período pós – Segunda Guerra Mundial, entre 1940 e 1960. Hoje concentra boa parte do PIB mundial. Geralmente, são mais resistentes às mudanças e não tão adeptos à tecnologia e inovações.

Geração X

Se você nasceu entre 1960 e 1980, faz parte da geração X. É uma geração com mais foco em crescimento pessoal e competitividade, tanto que muitos são empresários, a maioria donos de startups. Não tem o mesmo capital que a geração anterior, mas possui alto poder de consumo.

Geração Y (millennials)

Compreende o período de nascimento entre 1980 e 1995.

Um estudo realizado pelo Think with Google, divide esta geração em 2 fases:

  1. Old Millennials –  entre 25 e 34 anos

Foram crianças na década de 90, parte da vida foi sem a internet e tiveram acesso aos smartphones quando adultos.

  1. Young Millennials – entre 18 e 24 anos

Já nasceu conectada com a internet, redes sociais são usadas desde a infância, assim como os smartphones. Nasceram em uma realidade de recessão mundial.

Ambas as fases destas gerações demonstram uma preocupação com o lado sustentável, a economia compartilhada e o aspecto social sob a ótica da empatia.

Geração Z

Entre 1995 e 2010, todos que nasceram nesse período são considerados Z. Curioso como muitas características podem evoluir de uma para outra, como também mudar radicalmente ou até mesmo serem percebidas em mais de uma geração. Os Z´s são, em sua maioria, estão ligados à uma causa social. Extremamente conectados, fazem parte da revolução digital que junto com Y, contagiam as demais gerações. Porém, são mais céticos em relação ao poder e consequências das mídias sociais e como estas podem afetar o lado psicológico e de bem-estar. É uma geração bastante fluida e caixinhas, rótulos e identidades não são para esse público. O que na Y era até tolerado, nesta já não mais e a busca por um propósito está em primeiro lugar.

Geração Alpha

Caracterizada pelos nascidos a partir de 2010, a geração Alpha tem aproximadamente 11 anos hoje e já está sendo estudada pelas empresas e profissionais de marketing. Gêneros e identidades serão aspectos mais fluidos e, por sua vez, menos complexos e limitantes. É uma geração que terá outra relação com a inteligência artificial, pois irá conviver e criar frentes nesse sentido. Ainda não é possível decifrar como será a relação de consumo desta geração.

 E em meio a tantas gerações e perfis diferentes, como fica a comunicação das marcas com cada público-alvo?

Os millennials já ocupam 34% da população brasileira e 50% dos profissionais empregados no Brasil e 16% dos brasileiros são caracterizados Baby Boomers. Com esses dados podemos deduzir algo: a comunicação das marcas não pode ser exclusivamente para uma geração, a não ser que esta seja o foco exclusivo dela. E a pergunta que todos buscam a resposta é: como me comunicar adequadamente com o meu público?

A resposta é mais simples do que parece: defina a persona da sua marca!

Se a sua persona é composta por maioria de millennials, a sua comunicação deve englobar aspectos que fazem sentido para esta geração. Ao mesmo tempo, é importante estar atento às novidades e anseios da sua persona.  Uma dica que pode ajudar bastante é saber que existe uma sintonia de valores correlacionados com os aspectos sociais e sustentáveis da massa que compõe a maioria das gerações. Logo, sua marca, mais do que nunca deve demonstrar genuinamente o compromisso com valores como esses.

A tecnologia deve ser sua aliada para obter uma comunicação assertiva.  Os anúncios não podem ser puramente comerciais, mas combinarem aspectos sob diferentes prismas. São diferentes gerações convivendo e por isso a clareza e concisão devem ser essenciais. Excesso de palavras, para quê? Tenha uma linguagem direta e com o público certo, mas não force a barra! O inbound marketing pode ser um ótimo diferencial nesse sentido.

E que tal adotar uma linguagem inclusiva?

Aqui são apenas insights e esperamos que possam ajudar você a refletir sobre como sua marca tem se comunicado no modo 360 – cliente interno e externo. Me comunico bem com a minha equipe? Minha equipe se comunica bem com clientes?

Em síntese, a palavra que mais se repetiu nesse artigo foi – comunicação!

Usar uma linguagem assertiva e cordial nunca foi necessário e atual.

Agora fica uma pergunta:

Que CRINGES você ou sua marca cometem? Brincadeira, é apenas uma expressão atual e que viralizou em minutos mundialmente… pra vermos como é importante nos comunicarmos bem com todas as gerações, independente de negócios, pois acabamos convivendo com diferentes perfis e faixas etárias.

 

 

Sobre o autor:

Wilson Silva

Graduado em Marketing, bacharel em ciências contábeis e mestre em gestão de Negócios pela – FIA

Fundação Instituto de Administração

Head de Markegting / Growth – Akna Marketing Cloud

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *